quarta-feira, 14 de maio de 2008

Lição nº 146 e 147

14/05/2008
SUMÁRIO:
Conclusão do estudo do intercâmbio de gases nos animais.
Conclusão do V`de Gowin.

b) Traqueias como superfície respiratória:
Exemplo: insectos e outros artrópodes
As traqueias (rede de ductos no interior do corpo, ramificadas em traquíolas, que são fechadas) é a superfície de difusão dos gases respiratórios, entre o ar que circula nestes tubos e as células localizadas junto à extremidade fechada das traquíolas. A difusão é directa. Associado a seres vivos com sistemas circulatórios abertos. Não há ventilação activa.

c) Brânquias (guelras) como superfície respiratória:
Exemplo: Peixes e outros animais aquáticos como crustáceos e girinos.
Podem ser internas ou externas. Nos peixes ósseos estão cobertas pelo opérculo. Nos peixes cartilagíneos localizam-se também internamente, na região das fendas branquiais.
Nos filamentos branquiais a circulação dá-se em contracorrente, ou seja, o movimento da água ocorre no sentido contrário ao movimento do sangue nos capilares, mantendo assim um gradiente de concentração de O2 e de CO2, que favorece a difusão desses gases (O2 para o sangue e CO2 para a água). É o mecanismo que permite ultrapassar o problema da baixa oxigenação da água comparativamente com o ar.
Difusão indirecta. Hematose branquial
Ventilação: A água entra pela boca, atravessa os filamentos branquiais e sai pela fenda opercular ou fendas branquiais.

d) Pulmões como superfície respiratória:
Exemplo: vertebrados terrestres
Difusão indirecta. Hematose pulmonar (ou alveolar)
Anfíbios: Pulmões simples, com superfície interna pouco “dobrada”. Em simultâneo à hematose cutânea.
Répteis: Pulmões mais desenvolvidos, com a membrana alveolar mais “dobrada” (invaginada)
Mamíferos: Pulmões com uma superfície alveolar muito maior e muito vascularizada (milhões de alvéolos pulmonares). Ventilação: cada ciclo de inspiração e expiração põe e tira o ar do sistema quase completamente. O movimento do ar no sistema é bidireccional.
Aves: O movimento do ar no sistema é unidireccional – atravessa a traqueia, depois os sacos aéreos posteriores, depois os pulmões (onde se dá a hematose pulmonar) e depois os sacos aéreos anteriores; favorecendo a difusão nos pulmões por não haver ar residual. São necessários dois ciclos ventilatórios para que o ar percorra completamente todo o sistema. Nos pulmões a hematose também ocorre em mecanismo de contracorrente entre o ar e o sangue, ao nível de finos canais.

Fizemos os esquemas.

1 comentário:

Anónimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net

Biologia e Geologia...

Ciências para o futuro!